Mensagem de Melissa Anelli para os fãs brasileiros

Olá!
A Melissa Anelli gostou tanto da iniciativa do blog do livro que publicou um post dedicado aos fãs brasileiros. Como falamos na semana passada sobre um trecho do livro que cita o encontro de alguns integrantes do Potterish com a J.K.Rowling, ela fez questão de divulgar a parte da entrevista que em a J.K. fala sobre esse encontro. Imperdível!

Olá, pessoal! Harry e seus fãs acaba de ser lançado no Brasil. Por conta disso, conversei na semana passada com esses apaixonados e animados jornalistas brasileiros. E nada, ultimamente, tem me feito mais feliz do que o blog Harry e seus fãs, criado pela minha editora brasileira, a Rocco. Não por ser um blog sobre o meu livro ou algo do gênero, mas pela forma fidedigna com que eles absorveram a ideia do livro.
O blog é somente em parte sobre o livro, e bem pouco sobre mim. Eles têm entrevistado fãs e postado seus depoimentos na primeira página do blog todos os dias, para que compartilhem suas histórias e suas memórias do fenômeno Harry Potter. E o livro é sobre isso – ele não é nada sem isso. Toda vez que dou uma olhada no blog eu fico com um tipo de sorriso muito específico no rosto, que provavelmente não será entendido por ninguém que não conheça a sensação de fazer parte dessa imensa experiência compartilhada. Mesmo que eu não entenda uma palavra – e mesmo que a tradução do Google apareça com algumas versões muito engraçadas do texto – ainda assim é inspirador.
Quando comecei a escutar sobre fãs brasileiros do meu livro, e de Harry especificamente, um deles me twittou uma mensagem muito animada – eles TINHAM QUE SABER como eu consegui a informação que estava na página 384 (eu acho que era 384…) do meu livro. E eu não tinha ideia do que eles estavam falando ou a que trecho, na versão da edição em português, a página correspondia. Eles me disseram que eram do Potterish.com (que, juntamente com Clubedoslugue.com e uma série de outros sites de língua portuguesa têm apoiado este livro, fato pelo qual sou imensamente grata!), e que eram parte do grupo que tinha ficado em pé do lado de fora do Museu de História Natural, durante o lançamento de Harry Potter e as Relíquias da Morte, esperando durante a madrugada até que Jo saísse do museu, e que foram recompensados com um autógrafo breve e particular, direto da janela do carro da autora.
Quando eu contei a essa pessoa que Jo, pessoalmente, havia me contado a história, achei que ela fosse ter um ataque cardíaco. Então, pensei, existe forma melhor de celebrar a publicação brasileira do que um trecho inédito daquele momento? (E, fiel à forma, a Rocco têm conseguido matérias e fotos do encontro e publicado no blog. Obrigado, gente!)
Obrigado a todos, como sempre, pela paciência com as minhas atualizações menos frequentes. Acho que terei pelo menos um anúncio muito legal a fazer sobre o livro, o que, espero, acontecerá em breve. Estou sendo muito vaga? Não me culpem. Jo me ensinou tudo o que sei.
Leia a entrevista! Nela, discutimos os lançamentos de vários livros, um pouco sobre o Carnegie Hall, e, claro, o momento em que Jo encontrou os fãs brasileiros.
MA: Para o lançamento do quinto livro, você simplesmente apareceu no Waterstone’s (livraria britânica)?
JKR: Sim… De fato, foi um lançamento muito estranho. Muito esquisito. Eu realmente não quero fazer isso de novo.
MA: O que houve de esquisito nele?
JKR: Foi esquisito porque as crianças não tinham absolutamente nenhuma ideia de quem eu era, quando eu saí de trás das cortinas! Eu tinha prendido meu cabelo… e eles definitivamente não sabiam que diabo era aquela mulher que tinha saído de trás das cortinas para dar livros… (risos) aquele foi um momento realmente bizarro! Foi muito engraçado. Mas foi estranho porque eu não cheguei a ler ou a fazer qualquer outra coisa. E foi tudo muito controlado, muito comedido, número limitado de pessoas… e, no sétimo, eu estava realmente tentando tornar a coisa mais descontrolada… mas isso acabou se mostrando meio irrealista.
MA: Eles teriam esperado um dia inteiro na fila pela oportunidade…
JKR: É, eu acho que sim, mas ao mesmo tempo não teria sido legal?
MA: Teria.
JKR: Você sabe…de certa forma. E se você me perguntasse: E se tivessem sido 24 horas? Bem, se quer saber, eu teria ficado 24 horas.
MA: A sua mão teria caído!
JKR: Não, na verdade o problema não é a mão, e sim o ombro.
MA: Sério?
JKR: É, a minha mão não seria um problema. Mas meu ombro direito ficou dolorido por conta da turnê americana – que, acredite, é algo enorme! Você fica com o ombro doído porque está o tempo todo fazendo o mesmo movimento. Você está levantando seu braço com livros a todo momento, e, depois de algum tempo, ele começa a ficar um pouco dolorido.
MA: Dois mil levantamentos de braço?
JKR: Exatamente.
MA: E, após uma semana, dez mil!
JKR: Foram dez mil.
MA: Você deve ter um deltoide (músculo do ombro) muito desenvolvido por todos esses autógrafos.
JKR: Meu braço direito é muito mais forte do que o esquerdo.
MA: Quantos livros você diria que assinou em todos esses anos?
JKR: Meu Deus, não sei. Num grande chute, teria sido algo em torno de 50 ou 60 mil? Não sei.
MA: Naquela noite, houve alguma coisa específica nos bastidores? Eu sei que você encontrou Evanna.
JKR: Foi muito bom contar com Evanna lá. Eu encontrei algumas pessoas para as quais eu vinha escrevendo há algum tempo, algumas das quais eu tinha conhecido antes, e outras não. Eu gostaria de ter convidado todo o elenco. Evanna… eu sou sempre meio protetora. Eu pensei: O que iria acontecer quando ela aparecesse? Eu acho que para Dan, ou Rupert… não teria sido uma boa ideia eles virem. Pela segurança deles, não pela minha. Mas sim, Evanna estava muito disposta a vir junto, e eu estava muito feliz em vê-la. Eu a adoro. Eu encontrei pessoas para as quais eu vinha escrevendo há muito tempo… foi adorável. Tudo pareceu tão bom, e eu acho que você pode dizer. Eu revi alguns vídeos daquela noite e eu lembro de estar me sentindo muito feliz em estar ali. E é assim que deve ser… você deveria estar muito feliz de estar lá. Fiquei emocionada. Amei todos eles. Houve um momento em que eu quase chorei. Olhei aquele oceano de pequenos rostos antes de começar a ler. Nós temos essa espécie de sessão de perguntas e respostas informais, com a câmera desligada, e essa onda de emoção me arrebatou, e pensei: esta é a última vez. E eu poderia facilmente ter enchido meus olhos de lágrimas naquele momento. Eu tive que pôr em prática muito autocontrole para me manter na linha. Mas eu sempre me lembrarei daquele como o melhor – o melhor lançamento já feito e o Carnegie Hall – o segundo evento do Carnegie Hall – como a melhor série de perguntas e respostas que eu já fiz.
MA: Aquilo foi fantástico.
JKR: Foi simplesmente perfeito. Eu não poderia ter pedido por um público melhor ou por um local melhor. E eu me senti feliz e livre, como se eu pudesse simplesmente falar sobre tudo e nunca mais ter que responder uma pergunta com um “acho que eu não posso te dizer isso, você descobrirá isso no livro cinco”. Foi muito bom – tão maravilhoso, tão livre.
E aí, conforme nós dirigíamos na madrugada… às sete da manhã, nós deixamos o Museu de História Natural e, do lado de fora, somente pela chance remota de que poderiam me ver passando por ali, havia uma turma do Potterish.com do Brasil, que tinha vindo para conseguir exemplares autografados do livro – eles não tinham conseguido entrar no evento e estavam em pé do lado de fora, com uma bandeira do Brasil. Todos eles tinham uma cópia do livro e estavam parados na rua lendo, e aí o carro parou e eles começaram a pular, pular e pular. Meu motorista saiu do carro e eu sabia quem eles eram, eu podia dizer. Aí nós baixamos o vidro da janela e eu assinei alguns exemplares e tive uma conversa rápida com eles, e, novamente, aquele foi um jeito perfeito de terminar. Foi uma noite maravilhosa. Eu amei.
Fãs brasileiros, eu espero que vocês gostem do livro! E espero conhecê-los um dia!
Anúncios
Esse post foi publicado em Entrevistas, Melissa Anelli e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Mensagem de Melissa Anelli para os fãs brasileiros

  1. VOLLZIN disse:

    Ai, que legal que ela lembrou. Jo tem cara de ser muito simpática e lembrar dos pequenos momentos, mas que marcam…

  2. Obrigada Melissa.. mais umm moment inacreditável. Nunca esperaria que ela lembraria !

  3. Emerson Marques disse:

    Adorei o post.

  4. Andressa disse:

    Adorei o livro! lembrei das minhas lembranças com HP.

    Amei a citação do Potterish que também amo…

  5. Ao falar do grupo brasileiro, Jo consegue entusiasmar todos os fãs do país!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s